Divulgue esse artigo

Ao abrir a própria empresa, como cortar gastos e controlar adequadamente as finanças?

O controle financeiro é um dos maiores desafios de qualquer profissional que decide abrir um negócio. Mesmo assim, por conta da crise, muitos brasileiros se arriscaram como autônomos ou microempreendedores para fugir do desemprego e gerar renda.

De acordo com DADOS DO IBGE, 2017 fechou com mais empregos informais do que formais. Foram 34,3 milhões de brasileiros sem carteira contra 33,3 milhões com trabalho formal. Em 2016, eram 32 milhões de autônomos e 34 milhões de empregos formais.

O empreendedorismo por necessidade saltou de 29%, em 2014, para 43%, em 2015, mesmo número registrado em 2007, de acordo com DADOS DO SEBRAE.

E o número de MEIs (Microempreendendores Individuais) também aumentou. De acordo com o INDICADOR SERASA EXPERIAN, das 1.545.360 novas empresas instaladas no país entre janeiro e agosto de 2017, 78,5% (ou 1.213.229) eram microempreendimentos, número 10,5% maior que do mesmo período de 2016.

Ao mesmo tempo, manter o negócio funcionando é um grande desafio. É preciso colocar na ponta do lápis o pagamento de todas as despesas mensais, procedimento que tira o sono de muitos empreendedores e transforma o sonho de ter uma empresa em pesadelo.

Mas existem formas menos onerosas de manter uma empresa funcionando, sabia? Agora, vamos mostrar para você como cortar gastos e, ao mesmo tempo, realizar o sonho de empreender.

Como cortar gastos de forma efetiva

Uma das maneiras mais efetivas de como cortar gastos é utilizar um ESCRITÓRIO COMPARTILHADO. A ideia é um caminho possível para concretizar a abertura de uma empresa e atuar de forma mais profissional no mercado.

Ao migrar a empresa para um escritório compartilhado, o profissional descobre como cortar gastos sem comprometer a qualidade dos serviços que deseja oferecer. Isso porque o escritório compartilhado, também conhecido como COWORKING, oferece boa estrutura, preço fixo e serviços diferenciados, dependendo do pacote a ser contratado.

Veja como cortar gastos com os serviços de um escritório compartilhado:

Localização

Instalar a empresa em uma região de destaque exige investimento alto, especialmente em grandes cidades, onde aluguéis e condomínios de salas comerciais em locais de grande visibilidade são bem caros.

E para manter o desejo de possuir em endereço comercial de peso sem gastar muito é possível com os escritórios compartilhados. Eles geralmente estão localizados em pontos estratégicos das grandes cidades a um preço bem mais reduzido, já que os custos são divididos entre todos os profissionais que utilizam o espaço.

Despesas fixas

O pacote de um escritório compartilhado possui preço fixo, com diversos serviços inclusos, mostrando que é possível encontrar formas de cortar gastos sem perder qualidade.

Dentro de um escritório compartilhado é possível ter, além da estação de trabalho, serviços de correspondência, atendimento telefônico personalizado, café e limpeza inclusos no pacote.

Sala de reunião

Toda empresa possui espaços ociosos grande parte do tempo, mas paga por eles mesmo assim. Dentro de um escritório compartilhado isso não acontece. Você paga pela sala de reunião apenas quando utilizá-la. Em alguns casos, o profissional pode contratar um pacote fixo de horas, economizando ainda mais.

Viu como cortar gastos não é tão complicado assim? Com planejamento e boas soluções, é possível abriu um negócio e torná-lo bem-sucedido.

Se você se interessou pelos serviços oferecidos pelos escritórios compartilhados, conheça a MY PLACE OFFICE, um dos cinco maiores espaços de escritórios compartilhados do Brasil.

Espalhada por quatro estados brasileiros – São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Espírito Santo –, a My Place Office possui 16 unidades e cerca de 3 mil clientes.

Gostou da nossa dica de como cortar gastos? Então sinta-se à vontade para compartilhá-la nas suas redes sociais e acompanhe o nosso blog para ficar atualizado sobre o universo dos escritórios compartilhados!


Divulgue esse artigo